Roberto Carlos planeja megashow no Maracanã para comemorar 50 anos de parceria com a Globo

Roberto Carlos não fará em 2024 mais uma edição do Emoções em Alto Mar, mas seguirá reinando em terra firme, cheio de projetos, aos 82 anos. Um deles só vai acontecer em dezembro, mas já está sendo desenvolvido pelo cantor e sua equipe. Um megashow no Maracanã para comemorar os 50 anos de parceria com a Globo. O plano inicial é que a apresentação seja transmitida ao vivo e transformada em seu tradicional especial de fim de ano na emissora. O cantor não se apresenta no estádio desde 2009.

Antes disso, agora já em abril, mas precisamente na data de seu aniversário, no dia 19, Roberto dá início à sua nova turnê com um show em São Paulo. Pela primeira vez, desde o ano 2000, a turnê ganha um nome e foi batizada de “Eu ofereço flores 2024”. Na agenda do Rei, já estão marcados também apresentações fora do Brasil. Em junho, ele faz uma série de shows nos Estados Unidos.

EXTRA

Postado em 1 de março de 2024

TDAH pode ter sido uma vantagem evolutiva, indica estudo

Pesquisadores acreditam que transtorno do déficit de atenção com hiperatividade pode ter se desenvolvido com uma estratégia de sobrevivência adaptativa.O transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) tende a ser apontado como algo negativo. Os sintomas, que incluem hiperatividade, impulsividade ou desatenção, são vistos como uma fraqueza. No entanto, estudos recentes indicam que pessoas com TDAH costumam ser mais criativas, dinâmicas, têm competência social e emocional, além de possuir ótimas habilidades cognitivas.

Agora, uma nova pesquisa da Universidade da Pensilvânia busca rastrear as origens do TDAH e aponta que o transtorno seria uma parte importante da evolução. Os pesquisadores acreditam que o transtorno se desenvolveu como uma estratégia de sobrevivência adaptativa de nossos ancestrais.

“O TDAH e os traços cognitivos semelhantes ao TDAH, como a distratibilidade ou a impulsividade, são amplamente difundidos e geralmente vistos de forma negativa. Mas, se são realmente negativos, sua persistência é um enigma. Acreditamos que eles podem oferecer benefícios adaptativos”, afirmou David Barack, um dos autores do estudo.

Para o estudo publicado na revista The Royal Society, os pesquisadores analisaram dados de 457 adultos, sendo que deles, 206 afirmaram ter sintomas fortes de TDAH.

Em um jogo virtual, os participantes tinham a missão de colher o maior número possível de frutos silvestres num determinado espaço de tempo. O jogo obrigava os participantes a tomarem decisões, como: continuo a colheita no mesmo lugar onde as frutas estão acabando ou mudo de local para explorar um novo arbusto? A última opção custava segundos valiosos.

Os participantes com TDAH tendiam a mudar mais rápido e passar menos tempo num único arbusto. Assim, colheram mais frutas do que o outro grupo sem sintomas do transtorno. Esses últimos, por sua vez, tendiam a passar mais tempo no mesmo arbusto, na esperança de otimizar a colheita.

Os pesquisadores ficaram surpresos com esses resultados, pois acreditavam inicialmente que uma rápida mudança de arbustos poderia levar a uma produção menor. “Mas os sintomas de TDAH mais intensos levam a uma taxa de recompensa mais alta e a um melhor desempenho”, segundo Barack.

TDAH como estratégia de sobrevivência

A tática usada pelo grupo com TDAH tem vantagens: evita a exploração de recursos em um único local e, ao mesmo tempo, expande a exploração para novas áreas. Uma estratégia que pode ter sido vital para a sobrevivência dos caçadores-coletores no passado.

TERRA

Postado em 1 de março de 2024

PIB de 2023: economia brasileira cresce 2,9%, dentro das expectativas do mercado

A economia brasileira fechou o ano de 2023 com crescimento acumulado de 2,9%, apontam dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados nesta sexta-feira (1º) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Na mediana, analistas de mercado e o próprio governo trabalhavam com um crescimento de cerca de 3% para o período de 12 meses. O resultado ficou levemente abaixo da variação de 2022 (3%).

Considerando somente o quarto trimestre de 2023, o PIB ficou estagnado (0%) em relação aos três meses imediatamente anteriores, disse o IBGE. Nesse recorte, a expectativa mediana de analistas era de variação de 0,1%, conforme a Bloomberg. O ano de 2023, o primeiro do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi marcado pela ampliação da safra agrícola. Assim, o PIB contou com impulso da agropecuária, especialmente no início do ano passado, diz o IBGE.

A atividade econômica também foi beneficiada em 2023 pela retomada do mercado de trabalho. Nas explicações do IBGE, a abertura de empregos e a melhora da renda, aliadas à trégua da inflação, ajudaram o consumo. A taxa de desemprego, segundo o IBGE, fechou o ano de 2023 em 7,8%. É o menor patamar registrado desde 2014 e uma queda de 1,8 ponto percentual em relação a 2022 (9,6%). No trimestre encerrado em dezembro, a taxa de desocupação chegou a 7,4%.

O governo ainda apostou em medidas como a transferência de recursos via Bolsa Família para camadas mais pobres da população. O patamar elevado dos juros, por outro lado, representou um entrave para um avanço maior do consumo.

O ciclo de cortes da taxa básica, a Selic, só teve início em agosto. Com os juros altos e o fim da safra de grãos, a economia deu sinais de perda de ritmo na segunda metade de 2023. Mesmo assim, o PIB fechou o ano passado com um desempenho superior ao projetado inicialmente por analistas.

Ao final de 2022, o mercado financeiro esperava um crescimento de apenas 0,8% para o acumulado de 2023, conforme a mediana do boletim Focus, divulgado pelo BC (Banco Central). As previsões foram ajustadas para cima ao longo do ano.

CENÁRIO DE DESACELERAÇÃO EM 2024

Para o PIB de 2024, a expectativa, por ora, é de desaceleração. Analistas do mercado projetam um avanço de 1,75%, segundo a mediana da edição mais recente do Focus, publicada na terça (27) pelo BC. As estimativas, contudo, vêm subindo. Ao final de 2023, por exemplo, o mercado esperava um crescimento de 1,52% para o PIB de 2024.

Neste ano, a atividade econômica não deve contar com o mesmo impulso da agropecuária, já que fenômenos climáticos extremos jogam contra a produção no campo. O Brasil viveu episódios como ondas de calor, seca e tempestades em regiões produtoras nos últimos meses.

Os juros, por outro lado, estão em ciclo de queda. O corte é visto como possível estímulo para o consumo em 2024, incluindo o de bens de maior valor agregado, dependentes de financiamentos.

O TEMPO

Postado em 1 de março de 2024

Comissão do Senado aprova validade permanente para diagnóstico de autismo

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (28), o projeto que confere validade permanente ao laudo de diagnóstico de transtorno do espectro autista. O Projeto de Lei (PL) 3.749/2020, do senador Romário (PL-RJ), ganhou parecer favorável do senador Flávio Arns (PSB-PR). Agora a proposta segue para a Câmara dos Deputados, se não houver recurso para votação no Plenário do Senado.

O projeto altera a Lei Berenice Piana (Lei 12.764, de 2012), que criou a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Romário argumenta que o autismo é uma condição permanente do indivíduo, que não se altera. Assim, estabelecido o diagnóstico, segundo ele, não há razão para obrigar os responsáveis pela pessoa com autismo a passarem pelas dificuldades da busca de novo laudo.

“O projeto, ao dispor sobre a validade de laudo que diagnostique autismo, busca diminuir a sobrecarga desnecessária sobre os familiares e responsáveis pelos cuidados de indivíduos no espectro autista, no que consiste a renovação periódica do laudo médico da doença, uma vez feito o diagnóstico da condição. O processo de avaliação é cansativo, custoso e costuma gerar elevada ansiedade nos autistas”, disse o relator, que apresentou uma emenda de redação.

Para Arns, o Estado não deve fazer exigências despropositadas a quem já é rotineiramente demandando pelos cuidados requeridos pelo autismo. “A proposição atende a esse princípio, ao mesmo tempo em que mantém razoável controle pela Administração Pública da concessão de direitos e benefícios”, complementou.

Doenças raras
Os senadores Flávio Arns e Damares Alves (Republicanos-DF) lembraram que no último dia de fevereiro — este ano 29 — foi comemorado o Dia Mundial e Dia Nacional das Doenças Raras. Damares afirmou que a aprovação do PL 3.749/2020, nesta quarta-feira, é “um presente para a comunidade”.

Ela foi complementada por Flávio Arns: “Então, só para darmos toda solidariedade e apoio às pessoas, às famílias, aos pesquisadores, aos cientistas. São 8 mil doenças raras aproximadamente, pouca gente em cada doença, porque é rara, mas são 15 milhões de brasileiros, aproximadamente, que apresentam um quadro de doença rara. E nós temos aqui nossa subcomissão, e posso dizer para todas as pessoas que vamos ter uma atividade muito intensa nesse ano”, expôs o senador.

NOVO NOTICIAS

Postado em 1 de março de 2024

TCU aponta fraudes, superfaturamento e propina na gestão Bolsonaro

Uma investigação do TCU encontrou fortes acusações de corrupção durante a gestão de Jair Bolsonaro no Planalto. O tribunal vasculhou contratos da PRF, da Polícia Federal e do Ministério da Defesa para aquisição de viaturas blindadas da empresa Combat Armor na gestão do capitão.

Segundo a Corte, uma empresa ligada a Daniel Beck, um apoiador de Donald Trump nos Estados Unidos, faturou 39 milhões de reais no governo Bolsonaro . Os contratos, segundo o TCU, foram direcionados para o Combate de forma fraudulenta e com “condescendência de agentes públicos” na gestão bolsonarista.

Boa parte da fortuna repassada ao Combate deve, segundo o tribunal, a movimentos de Silvinei Vasques, o ex-chefe da PRF na administração bolsonarista. Vasques está preso por envolvimento em irregularidades durante a eleição presidencial, quando o órgão que ele comandava foi usado para tentar tumultuar a votação no país. Para o TCU, além de beneficiar o Combate, Silvinei pode ter recebido propina enquanto esteve na PRF.

Segundo o TCU, a Combat Armor era uma “empresa de papel” nos Estados Unidos — sem sede, sem atividade e sem funcionários — até o início de 2019, quando chegou ao Brasil para disputar licitações. Forjando documentos e contando com a ajuda de bolsonaristas para fraudar concorrências e superfaturar contratos, a empresa faturou 33,5 milhões de reais na PRF, recebeu 2,9 milhões de reais da PF e outros 273.000 reais do Ministério da Defesa .

“Não tocante à habilitação da Armadura de Combate nesses certos, adquirido-se que a empresa foi beneficiada por uma possível leniência de agentes públicos da PRF, que aceitaram atestados de capacidade técnica inidôneos, cujas fragilidades eram de fácil percepção”, diz o TCU.

A investigação ainda destaca a existência de “repasses financeiros de Combate a empresas ligadas a agentes públicos envolvidos nos processos de contratação, com o objetivo possível de beneficiá-la”. Em outras palavras, propina.

Sobre a conduta do ex-chefe da PRF na gestão Bolsonaro, o TCU aponta “possível favorecimento à Combat Armor pelo senhor Silvinei Vasques em contratações feitas pelo órgão policial, considerando que: as unidades da PRF que mais destinaram recursos à Combat Armor coincidem com as regiões onde Vasques exerceu influência significativa”.

“Isso inclui a Superintendência do RJ, onde ele foi superintendente até abril de 2021, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal em Brasília, durante seu mandato como Diretor Geral, e a Superintendência da PRF em Santa Catarina, onde também ocupou o cargo de superintendente. Os valores pagos por estas unidades de Combat Armor totalizaram valores expressivos, evidenciando uma relação entre os pagamentos e as posições ocupadas por Vasques”, diz a investigação do TCU.

VEJA

Postado em 1 de março de 2024

AGRICULTURAXXV EXPONOVOS acontecerá de 05 a 07 de abril com R$ 60 mil em premiação

A maior feira agropecuária do interior do Rio Grande do Norte celebra sua 25ª edição neste ano com a expectativa de ser uma das maiores já realizadas e com grande participação de produtores, expositores e público. A EXPONOVOS acontecerá de 05 a 07 de abril no Parque de Exposição “Dr. José Bezerra de Araújo” e terá R$ 60 mil em premiação.
A programação contará com feira de negócios, feira de animais, torneio leiteiro, exposição de animais, julgamento de ovinos e caprinos, feira das mulheres, estandes com o melhor da gastronomia e artesanato local, além de grandes shows musicais e culturais.
O evento é uma realização do Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Currais Novos, Associação Norte Rio-grandense de Criadores de Ovinos e Caprinos (ANCOC), com apoio de diversas instituições financeiras e parceiros como a CDL Currais Novos.

Postado em 1 de março de 2024

Síndrome de Down: cientistas identificam traços genéticos em ossos de bebês com 5 mil anos de idade

Cientistas diagnosticaram traços genéticos da síndrome de Down a partir do DNA em ossos antigos de 7 bebês, sendo um deles com cerca de 5.500 anos de idade. O achado foi publicado na revista Nature Communications.

A síndrome de Down, que ocorre em 1 a cada 700 bebês, é causada por uma cópia extra do cromossomo 21. O cromossomo extra leva a uma série de alterações, incluindo problemas cardíacos e de aprendizagem.

O achado tem base em um estudo anterior. Em 2020, Lara Cassidy, então geneticista do Trinity College Dublin, usaram DNA antigo pela primeira vez para diagnosticar um bebê com síndrome de Down. Eles estavam examinando genes de esqueletos enterrados em uma tumba de 5.500 anos no oeste da Irlanda. Os ossos de um menino de seis meses continham quantidades incomumente altas de DNA do cromossomo 21.

Desde então, Adam Rohrlach, um estatístico do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva em Leipzig, Alemanha, desenvolveu um novo método para encontrar a assinatura genética, com a qual eles pudessem examinar rapidamente milhares de ossos.

Se o osso ainda preservasse DNA, o teste revelava vários pequenos fragmentos genéticos. Muito frequentemente, esses fragmentos vinham de micróbios que crescem nos ossos após a morte. Mas alguns ossos também continham DNA reconhecivelmente humano, e aqueles com uma porcentagem alta eram sinalizados para testes adicionais.

Rohrlach descobriu que o instituto havia examinado quase 10.000 ossos humanos dessa maneira, e os resultados do sequenciamento estavam armazenados em um banco de dados. Ocorreu a Rohrlach eles poderiam procurar no banco de dados em busca de cromossomos extras.

— Nós pensamos, ‘Ninguém nunca verificou essas coisas antes’— contou Rohrlach.

Ele então escreveu um programa que classificava fragmentos do DNA recuperado por cromossomo. O programa comparava o DNA de cada osso com o conjunto completo de amostras. Em seguida, identificava os ossos específicos que tinham um número incomum de sequências provenientes de um cromossomo específico.

Dois dias após sua conversa inicial, o computador tinha os resultados. — Aconteceu que nossa intuição estava correta — diz Rohrlach, que agora é professor associado na Universidade de Adelaide, na Austrália.

Eles descobriram que a coleção do instituto incluía seis ossos com DNA extra do cromossomo 21 – a assinatura da síndrome de Down. Três pertenciam a bebês com até um ano e os outros três a fetos que morreram antes do nascimento.

Rohrlach também fez um acompanhamento do estudo de 2020 de Cassidy. Ele usou seu programa para analisar a sequenciação de shotgun para o esqueleto irlandês e descobriu que ele também carregava um cromossomo 21 extra, confirmando o diagnóstico inicial dela.

Rohrlach também encontrou outro esqueleto com uma cópia extra do cromossomo 18. Essa mutação causa uma condição chamada síndrome de Edwards, que geralmente leva à morte antes do nascimento. Os ossos vieram de um feto não nascido que morreu com 40 semanas e estavam gravemente deformados.

A nova pesquisa, no entanto, não permite a Rohrlach determinar quão comum era a síndrome de Down no passado.

Rohrlach achou significativo que três crianças com síndrome de Down e uma com síndrome de Edwards fossem enterradas em duas cidades vizinhas no norte da Espanha entre 2.800 e 2.400 anos atrás.

Normalmente, as pessoas nessa cultura eram cremadas após a morte, mas essas crianças foram enterradas dentro de prédios, às vezes com joias. — Eram bebês especiais que estavam sendo enterrados nessas casas, por razões que ainda não entendemos — especulou Rohrlach.

Ainda assim, Gresky considerou o novo estudo um avanço importante. Por um lado, pode permitir que os arqueólogos comparem restos geneticamente identificados com síndrome de Down.

Folha PE

Postado em 1 de março de 2024

Iphan reconhece Choro como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil

Nesta quinta-feira (29), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) declarou o ritmo Choro como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.
Com o tempo, o gênero musical brasileiro, que teve início por volta de 1870 com o lançamento da canção “Flor Amorosa”, de Joaquim Callado, no Rio de Janeiro, se consagrou com outros nomes como Chiquinha Gonzaga e Pixinguinha.

A definição aconteceu durante a 103º reunião ordinária do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural da entidade. Vale dizer que a aprovação foi por unanimidade entre os 22 conselheiros.

O pedido de reconhecimento foi apresentado pelo Clube do Choro de Brasília, pelo Instituto Casa do Choro do Rio de Janeiro, pelo Clube do Choro de Santos e por chorões e choronas do país.

O que muda após virar Patrimônio Cultural
De acordo com as informações publicadas pelo Governo Federal, o corpo técnico do Iphan e os detentores do bem cultural, juntos, irão desenvolver políticas públicas para a salvaguarda do Choro, com programas e cursos em escolas públicas, criação de editais para aquisição de instrumentos e promoção das rodas de choro em locais públicos que fortalecem o desenvolvimento de formas de transmissão.

CNN

Postado em 1 de março de 2024

Saúde antecipa vacinação contra gripe; campanha começa em 25 de março

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe vai começar no dia 25 de março. Em nota, o Ministério da Saúde informou que a imunização, tradicionalmente realizada entre os meses de abril e maio, foi antecipada este ano em razão do aumento da circulação de vírus respiratórios no país.

A pasta informou ainda ter negociado a entrega antecipada das doses, que estão previstas para serem distribuídas aos estados das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul a partir do dia 20 de março. Municípios do Norte já realizaram a imunização entre novembro e dezembro do ano passado, atendendo às particularidades climáticas da região.

De acordo com o ministério, a vacina previne contra os vírus que geralmente começam a circular no país nos meses de maio, junho e julho. Nessa quarta-feira (29), a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel, disse que a pasta vem observando uma antecipação da circulação de vírus respiratórios no Brasil.

A dose utilizada é a trivalente e, portanto, conta com três tipos de cepas combinadas, protegendo contra os principais vírus em circulação no Brasil. A estimativa do ministério é que 75 milhões de pessoas sejam imunizadas. A pasta informa que a vacina influenza pode ser administrada na mesma ocasião de outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação.

Público-alvo

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;
  • Crianças indígenas de 6 meses a menores de 9 anos;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Gestantes;
  • Puérperas;
  • Professores dos ensinos básico e superior;
  • Povos indígenas;
  • Idosos com 60 anos ou mais;
  • Pessoas em situação de rua;
  • Profissionais das forças de segurança e de salvamento;
  • Profissionais das Forças Armadas;
  • Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (independentemente da idade);
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Caminhoneiros;
  • Trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso);
  • Trabalhadores portuários;
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade;
  • População privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).

Crianças que vão receber o imunizante pela primeira vez devem tomar duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas.

EBC

Postado em 1 de março de 2024

Tiririca acusa Eduardo Bolsonaro de “roubar” número de campanha: “Só se elegeu por minha causa”

O deputado federal Tiririca (PL-SP) afirmou que o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) só se elegeu para a Câmara por ter utilizado seu tradicional número de campanha: 2222. Segundo ele, seu desempenho de campanha foi diretamente prejudicado pela perda do número para o filho do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Três mandatos com o mesmo número. O cara me tira sem me falar nada, sem me dar explicação nenhuma. Fizeram uma grande covardia. E muitos deles falaram: ‘O número não elege’. Se não elege, por que tirou logo o meu ?”, disse Tiririca ao jornal Folha de S.Paulo .

Eduardo Bolsonaro recebeu 741.701 votos em São Paulo, tornando o quarto com maior número de participantes em 2022. Para Tiririca, o resultado se deve especialmente a ele. “O cara [Eduardo] só entrou por causa do meu número, porra. Quem votou nele foi a galera que votou em mim. Ele escolheu meus votos. Ele deve a Deus e aos meus candidatos”, afirma.

De acordo com o deputado e humorista, nem ele mesmo se gravou do número no qual concorreu no pleito passado. Na ocasião, Tiririca finalizou a campanha com 71.754 votos (0,3%), sendo o menos votado do estado de São Paulo e se elegendo apenas pela alta média de votos dos deputados federais do PL, que garantiu ao partido 96 vagas na Câmara.

Esse resultado representa uma grande queda dos deputados de Tiririca, que já foi o deputado federal mais votado do Brasil, em 2010, quando concorreu pela primeira vez, já utilizando o 2222.

A perda da posse do número é motivo de consentimento por parte do deputado desde antes dos resultados das eleições. À CNN, em maio de 2022, ele chegou a dizer que poderia desistir da política caso houvesse a mudança. “Aconteceram umas coisas com o partido que me deixou meio chateado. Eles querem pegar meu número para dar para o Eduardo Bolsonaro”, afirmou, na ocasião.

Tiririca ainda afirma ter procurado Eduardo Bolsonaro e diz aguardar um pedido de desculpas. Segundo ele, o filho de Jair Bolsonaro teria deixado uma conversa e desculpas para depois. “Não vai existir, né? Esqueça”.

Ele ainda defendeu a própria política autorizada, que costuma praticar: afirmou que vota de acordo com o que é bom para o povo e não se alinha a governo nenhum. Por isso, defende o deputado, não sofre ameaças como “outros colegas”. “Graças a Deus, ando sem segurança e não tenho cobrança de ninguém, tipo assim, ‘você votou errado'”, destaca.

O POVO

Postado em 1 de março de 2024

Desemprego vai a 7,6% no trimestre terminado em janeiro, diz IBGE

A taxa de desemprego no Brasil foi de 7,6% no trimestre encerrado em janeiro, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada nesta quinta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação ao trimestre imediatamente anterior, entre agosto a setembro, o período teve estabilidade de desocupação (7,6%). No mesmo trimestre de 2023, a taxa era de 8,4%. Para os trimestres encerrados em janeiro, é a menor taxa de desocupação desde 2015 (6,9%).

Contra todos os trimestres móveis, é a primeira alta desde fevereiro de 2023, mas o IBGE não considera os dados comparáveis porque há sobreposição de dados.

A estabilidade contra o trimestre anterior põe fim, porém, a trimestres seguidos de queda na taxa de desocupação. O mês de janeiro segue uma sazonalidade do mercado de trabalho. No final do ano, o país costuma gerar vagas temporárias para o período de festas, e parte desse contingente é dispensado no início do ano seguinte.

“Em alguns anos, essa sazonalidade pode ser maior, ou menor. Nessa entrada do ano de 2024, o que a gente percebe é uma estabilidade, justamente porque a população desocupada não teve expansão tão significativa nesse trimestre encerrado em janeiro de 2024”, explica a coordenadora de Pesquisas Domiciliares do IBGE, Adriana Beringuy.
Com os resultados, o número absoluto de desocupados também ficou estável contra o trimestre anterior, atingindo 8,3 milhões de pessoas. Na comparação anual, o recuo é de 7,8%.

Entre novembro e janeiro, houve crescimento de 0,4% na população ocupada, que chegou a 100,5 milhões de pessoas, recorde da série comparável. No ano, o aumento foi de 2%, com mais 1,9 milhão de pessoas ocupadas.

O percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar — chamado de nível da ocupação — foi estimado em 57,3%, resultado estável frente ao trimestre anterior. Em relação ao mesmo período do ano anterior, a alta é de 0,6 p.p.

Já o número de pessoas dentro da força de trabalho (soma de ocupados e desocupados), teve alta de 0,4% no trimestre, estimado em 108,9 milhões. A população fora da força totalizou 66,6 milhões, mais uma estabilidade no trimestre.

Veja os destaques da pesquisa
Taxa de desocupação: 7,6%
População desocupada: 8,3 milhões de pessoas
População ocupada: 100,5 milhões
População fora da força de trabalho: 66,6 milhões
População desalentada: 3,6 milhões
Empregados com carteira assinada: 37,95 milhões
Empregados sem carteira assinada: 13,4 milhões
Trabalhadores por conta própria: 25,6 milhões
Trabalhadores domésticos: 5,9 milhões
Trabalhadores informais: 39,2 milhões
Taxa de informalidade: 39%

O IBGE aponta que três setores foram importantes para o aumento de ocupação que impediu um crescimento da taxa de desocupação. Foram eles:

Transporte, armazenagem e correio (alta de 7,5%, ou mais 404 mil pessoas);
Informação, Comunicação e Atividades Financeiras, Imobiliárias, Profissionais e Administrativas (6,6%, ou mais 788 mil);
e Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (3,4%, ou mais 591 mil).
Por outro lado, Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura recuou 6% (ou menos 503 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e -6,9% (ou menos 582 mil pessoas) contra o mesmo trimestre de 2023.

Rendimento em alta
O rendimento real habitual teve alta frente ao trimestre anterior, de 1,6%, e passou a R$ 3.078. No ano, o crescimento foi de 3,8%.

Já a massa de rendimento real habitual foi estimada em R$ 305,1 bilhões, mais um recorde da série histórica do IBGE. O resultado subiu 2,1% frente ao trimestre anterior, e cresceu 6% na comparação anual.

G1

Postado em 1 de março de 2024

Em crítica à morte de palestinos em Gaza, Petro acusa Israel de ‘genocídio’ e faz referência ao Holocausto

O presidente da Colômbia , Gustavo Petro , acusou Israel de “genocídio” e comparou a morte de bolsas de pacotes que tentavam conseguir alimentos nos arredores da Cidade de Gaza , na madrugada desta quinta-feira, ao Holocausto nazista na Segunda Guerra Mundial. O episódio provocou uma troca de versões entre israelenses e palestinos, e serviu para o líder colombiano voltar a atacar Israel.

“Pedindo comida, mais de 100 palestinos foram assassinados por Netanyahu. Isso se chama genocídio, e também nos lembra do Holocausto, embora os poderes mundiais não gostem de reconhecer isso. O mundo deve bloquear [Benjamin] Netanyahu [primeiro-ministro de Israel]. A Colômbia suspende todas as compras de armas de Israel”, escreveu Petro no X, o antigo Twitter.

Ainda não houve resposta do lado israelense.

O presidente colombiano tem feito duras críticas a Israel desde o início da ofensiva militar contra o grupo terrorista Hamas em Gaza , depois dos ataques de 7 de outubro de 2023, que deixaram quase 1.200 mortos no país. Um dia depois da invasão do Hamas, Petro foi ao X fazer declarações igualmente condenadas por Israel, traçando semelhanças entre a Alemanha nazista e a relação entre israelenses e os palestinos em Gaza e na Cisjordânia .

“Se tivesse vivido na Alemanha dos anos [19]33, eu teria lutado ao lado dos judeus, e se tivesse vivido na Palestina de 1948 teria lutado ao lado palestino. Agora os neonazistas querem a destruição do povo, da liberdade e da cultura palestina. Agora nós, democratas e progressistas, queremos que se imponha a paz e que sejam livres os povos israelenses e palestinos”, escreveu no dia 8 de outubro de 2023.

Nos dias seguintes, ele voltou a fazer referências à Alemanha nazista e ao Holocausto, tentando encontrar semelhanças com o contexto atual. Em resposta, o governo israelense, além de mensagens críticas, anunciou a suspensão das “exportações de segurança” para Bogotá, e Petro disse que “se tiver que suspender as relações com Israel elas serão suspensas”, acrescentando que “não apoia genocídios”. Em novembro, ele chamou a embaixadora colombiana em Israel para consultas, mas não rompeu oficialmente os laços, como fez a Bolívia, no final de outubro.

O Petro foi um dos poucos líderes internacionais a sair em defesa do presidente Lula após a comparação por ele feito entre a operação militar israelense em Gaza e o Holocausto, durante uma viagem à Etiópia. Em seu discurso, Lula comparou os ataques de Israel na Faixa de Gaza, que foi classificado como “genocídio”, com o extermínio de judeus pelo governo nazista de Adolf Hitler na Alemanha .

“Expresso minha total solidariedade ao Presidente Lula do Brasil. Em Gaza há um genocídio e milhares de crianças, mulheres e idosos civis são cobardemente assassinados. Lula só falou a verdade e defende-se a verdade ou a barbarie nos aniquilará”, disse Petro, no dia 20 de fevereiro, no X.

O GLOBO

Postado em 1 de março de 2024

Brasil registra mais de um milhão de casos de dengue em 2024

O Brasil atingiu a marca de 1 milhão de casos de dengue registrados em 2024. Os dados são do Ministério da Saúde, divulgados na tarde desta quinta-feira (29). São 1.017.278 casos, com 214 mortes. Existem 687 casos em investigação para saber se a morte foi causada pela dengue.
Devido ao aumento expressivo no número de casos do vírus no país, o Ministério da Saúde anunciou na terça-feira (27) a realização do Dia D de combate à dengue no Brasil para o próximo sábado (2). A mobilização “10 minutos contra a dengue” tem o intuito de intensificar as ações de prevenção e eliminação dos focos do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da doença.

“Faço aqui um chamamento à sociedade, aos profissionais de imprensa, para estarem conosco no Dia D — Brasil unido contra a dengue, no próximo sábado. Este é um momento de atenção não só das autoridades sanitárias, do Ministério da Saúde, mas também de toda a sociedade”, afirmou a ministra da saúde, Nísia Trindade, em coletiva realizada nesta semana.

Considerando as tendências históricas da dengue no país, os picos das epidemias costumam acontecer entre os meses de março e abril, contrariando a situação atual.

Dia D contra a dengue
Com mais de um milhão de casos de dengue registrados no Brasil, o Ministério da Saúde deve promover, em conjunto com autoridades e a população, a ação nacional do ‘Dia D’, previsto para acontecer neste próximo sábado (2).

O ‘Dia D’ se trata de uma mobilização coletiva e em âmbito nacional que reforçará ações de prevenção e eliminação dos focos do mosquito da dengue, além de promover uma ampla conscientização da população.

Segundo dados divulgados pela pasta, o país registrou 207 óbitos por dengue este ano. Quase 700 mortes ainda aguardam confirmação se há alguma relação com a doença. Apenas nos primeiros dois meses de 2024, o Brasil já ultrapassou o pior pico registrado no ano passado, ocorrido durante março e abril.

CNN

Postado em 1 de março de 2024

PF indicia Zambelli e hacker por invasão a sistema do CNJ

A Polícia Federal (PF) indiciou, nesta quinta-feira (29), a deputada Carla Zambelli (PL-SP) e o hacker Walter Delgatti Neto, ambos acusados de atacar o sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A PF afirma que ambos teriam cometido, diversas vezes, os crimes de invasão de dispositivo informático e falsidade ideológica.
O inquérito aponta que os suspeitos inseriram documentos falsos no sistema do órgão. Entre os quais, um mandado de prisão contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Interrogado, Delgatti afirmou que acessou a plataforma do CNJ a pedido de Zambelli e a parlamentar teria sido a responsável por repassar a ele mandado de prisão falso contra Moraes. O documento foi incluído no Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP).

O hacker, que ficou conhecido por vazar conversas de procuradores da Lava Jato, disse que recebeu pagamentos pelo serviço. A PF achou o rastro dos pagamentos.

Em nota, a defesa de Zambelli negou as acusações.

“A defesa da deputada Carla Zambelli conquanto ainda não tenha analisado minuciosamente os novos documentos e o relatório ofertado pela Polícia Federal, reforça que ela jamais fez qualquer tipo de pedido para que Walter Delgatti procedesse invasões à sistemas ou praticasse qualquer ilicitude”, diz a nota.

Já a defesa de Delgatti afirmou que não se surpreendeu com o indiciamento, pois desde a prisão do hacker, ele havia confessado que teria participado da inserção de dados falsos ao sistema do judiciário.

“O indiciamento de Carla Zambelli confirma que Walter, a todo momento, colaborou com a Justiça, levando a PF até a mandante e financiadora dos atos perpetrados por ele”, escreveu a defesa do hacker.

Durante os ataques cibernéticos à rede do CNJ, além do falso mandado de prisão contra Moraes, também foram incluídos dez alvarás de soltura. Contudo, Delgatti negou que tenha sido ele o responsável e apontou como culpado um suposto parceiro, Thiago Eliezer Martins.

Entretanto, a PF não conseguiu comprovar a participação de Martins nos crimes. A defesa do acusado celebrou.

“Durante todo o desenrolar da investigação, Thiago Eliezer Martins colaborou plenamente com as autoridades, fornecendo todas as informações solicitadas e mantendo total transparência em suas ações. A ausência de indiciamento de Thiago Eliezer é uma confirmação de sua inocência e do respeito ao devido processo legal”, afirmou a defesa de Martins, em nota.

CNN

Postado em 1 de março de 2024

Martinho da Vila processa INSS após ter aposentadoria suspensa por falta da prova de vida

Martinho da Vila, cantor.

O cantor Martinho da Vila colocou o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Justiça para tentar voltar a receber aposentadoria. Conforme noticiado nesta quinta-feira (29) pela coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o artista deixou de receber o benefício em 2021 por falta de prova de vida.
Martinho pede a devolução de R$ 80 mil. O artista só percebeu haver parado de receber o valor em 2023. O cantor já realizou 13 novas provas de vida para receber novamente o benefício.

A 31ª Vara Federal do Rio de Janeiro é responsável pelo caso. O cantor é beneficiário do INSS desde 2006.

O QUE DIZ O INSS
O INSS informou que o direito do cantor já foi reativado. O órgão disse ainda que foram pagos os benefícios de dezembro de 2023 e janeiro de 2024. Há, ainda, a previsão do pagamento para o mês de fevereiro.

Referente aos valores retroativos, o Instituto informou que calcula o total para o pagamento dos atrasados que serão disponibilizados em até 15 dias na instituição bancária.

“É importante que o senhor Martinho logo saque com urgência as parcelas já disponíveis para que o sistema não suspenda o pagamento por não recebimento por parte do segurado”, diz nota.

A situação de crédito do cantor também pode ser acompanhado na página pessoal dele, em “Extrato de Pagamento” pelo Meu INSS ou ligar para a Central Telefônica 135, que funciona de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Diario do Nordeste

Postado em 1 de março de 2024